Uma pequena Homenagem ao grande Gabo

Ontem, aos 87 anos morreu o escritor colombiano vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, Gabriel Garcia Márquez.

Seria impossível dimensionar o tamanho dessa perda.

Gabo foi um autor que influenciou toda uma geração, seus livros fizeram parte da vida de milhões de pessoas.

Entre tantas qualidades formidáveis, algo que não podemos deixar de exaltar é a forma como Gabo deu voz a América Latina.

Um escritor maravilhoso que vai fazer muita falta.

Aqui no Espanador, o Kalebe fez um texto sobre ele no seu aniversário de 85 anos.

Nesse texto selecionamos um trecho do discurso que Gabo fez em Estolcomo ao receber o Nobel de Literatura, em 1982:

“Um dia como hoje, meu mestre William Faulkner disse: ‘Eu me recuso a aceitar o fim da humanidade’. Não seria digno de mim estar num lugar em que ele esteve se eu não tivesse plena consciência de que a tragédia colossal que ele se recusou a reconhecer, 32 anos atrás, é agora, pela primeira vez desde o começo da humanidade, nada além de uma simples possibilidade científica.

Cara a cara com esta realidade horrenda que pode ter parecido uma mera utopia em toda a existência humana, nós, os inventores das fábulas, que acreditamos em qualquer coisa, nos sentimos inclinados a acreditar que ainda não é tarde demais para nos engajarmos na criação da utopia oposta.

Uma nova e avassaladora utopia da vida, onde ninguém será capaz de decidir como os outros morrerão, onde o amor provará que a verdade e a felicidade serão possíveis, e onde as raças condenadas a cem anos de solidão terão, finalmente e para sempre, uma segunda oportunidade sobre a terra. “

Pra quem quiser ouvir o discurso completo:

Através dos seus livros, Gabo vai viver pra sempre.

Um comentário em “Uma pequena Homenagem ao grande Gabo

  1. Lindo demais esse discurso!!! Com certeza Gabo vai viver para sempre! (Achei linda a nossa sintonia, pois o meus post homenagem tem esse título: Gabo para sempre! – embora eu não consiga terminar de escrever, pois é difícil dizer o quanto ele foi e é importante para mim… 😉
    Beijos!

  2. Quando soube que ele morreu fiquei chateada, até porque tinha terminado de ler 2 livros dele e sequência. Mas sabia que ele já estava nem debilitado e não escrevia mais… Eu sinto muito pela morte dele, mas achei a última frase do post tão importante, porque ele se fez imortal graças à escrita, e essa é uma das principais funções da literatura.

    Abraços
    agua-marinha.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *