Os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2017

spliteratura

Foi divulgada nesta sexta-feira (1º de setembro) os finalistas do prêmio São Paulo de Literatura, uma das principais premiações de literatura no país. Vinte finalistas se dividem entre três categorias: Melhor Livro do ano; Melhor Livro autor estreante – menos de 40 anos; e Melhor Livro autor estreante – mais de 40 anos.

Além da importância que o prêmio ganhou nos últimos anos em relação à sua notoriedade, ele é também o que tem a maior premiação em dinheiro para os autores vencedores: o melhor livro do ano leva R$ 200 mil, e as duas categorias de autores estreantes recebem R$ 100 mil cada.

Segundo a organização, foram 221 obras inscritas. A partir daí, um primeiro juri seleciona os finalistas, que foram 20 no total, que passam por um novo juri que seleciona os vencedores. Ainda não foi divulgada a data da premiação.

A partir da lista, podemos ver que as disparidades no mercado ainda são gigantes: dos dez indicados ao prêmio principal, há apenas uma mulher, e nenhum autor negro. Há algumas semanas, comentávamos (e ainda falaremos mais) sobre a Flip deste ano e de como ela trazia vozes diversas na literatura e de como a ampliação desse debate podia ser enriquecedor para a literatura, para os leitores e para o mercado. O anúncio dos finalistas, ainda que tenha livros muito bons em sua lista, não deixa de nos mostrar que as mudanças ainda são lentas e que há muito ainda a ser feito.

Abaixo a lista dos finalistas. Alguma torcida?

trofeu

Melhor livro do ano:

Bernardo Carvalho – Simpatia pelo demônio (Companhia das Letras) 

Flávio Izhaki – Tentativas de capturar o ar (Rocco)

Javier Arancibia Contreras – Soy loco por ti, América (Companhia das Letras)

José Luiz Passos – O marechal de costas (Alfaguara)

Maria Valéria Rezende – Outros cantos (Alfaguara)

Michel Laub – O tribunal da quinta-feira (Companhia das Letras)

Miguel Sanches Neto – A bíblia do Che (Companhia das Letras)

Ricardo Lísias – A vista particular (Alfaguara)

Silviano Santiago – Machado (Companhia das Letras)

Victor Heringer – O amor dos homens avulsos (Companhia das Letras)

Melhor Livro autor estreante – mais de 40 anos:

Antonio Cestaro – Arco de virar réu (Tordesilhas | Alaúde)

Franklin Carvalho – Céus e terra (Record)

Martha Batalha – A vida invisível de Eurídice Gusmão (Companhia das Letras)

Priscila Gontijo – Peixe cego (7 Letras)

Tina Correia – Essa menina: De Paris a Paripiranga (Alfaguara)

Melhor Livro autor estreante – menos de 40 anos:

Alexandre Marques Rodrigues – Entropia (Record)

André Timm – Modos inacabados de morrer (Oito e Meio)

Maurício de Almeida – A instrução da noite (Rocco)

Raul Ruas – Em torno dos 26 anos: Quando predominam tons tristes, vaidosos e politicamente incorretos (7 Letras)

Robson Viturino – Do outro lado do rio (Nós)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *