[Mania de listas] As muitas categorias do Kalebe

 

O ano de 2016 foi um ano difícil (pra todos nós, eu sei). Mas na parte “leituras do Kalebe”, foi um verdadeiro desastre. Li tão pouco que não foi muito difícil fazer a lista das leituras ou não-leituras do ano. Senti que fui atropelado pelo ano e por algum motivo não consegui ler quase nada do que eu gostaria. Assim como a Ju disse no texto dela, o que moveu as minhas leituras em 2016 foi o [Leituras Compartilhadas], nosso clube de leitura que esse ano completou 3 anos. Tenho certeza que foram as experiências com os clubes que fizeram tanta diferença nessas leituras. 
 
Eu dividi minha lista em 3 categorias: Releitura, Melhores livros que eu abandonei (nesse item, nenhum deles foi porque eu não estava gostando deles, foi a vida mesmo) e meu Top 7 leituras.

Releitura

kalebe1 1º Extremamente alto & Incrivelmente perto – Jonathan Safran Foer (Ed. Rocco)
 
Sempre considerei um dos livros favoritos da vida e ele foi o livro do clube de novembro/dezembro. E reler ele não diminuiu meu carinho pelo livro e pude perceber até mais detalhes do que da outra leitura. Esse Safran Foer sabe das coisas. Livro incrível e continua sendo um dos favoritos da vida. 
 
Pedro Páramo – Juan Rulfo (Ed. Record)
 
Na Flip desse ano, na Casa do IMS (programa Rádio Batuta) eu vi a ótima Valeria Luiselli falando sobre um dos seus livros favoritos, Pedro Páramo. Eu tinha relido o livro há dois meses e ainda estava assombrado por ele e a Valeria falou sobre coisas que eu não tinha pensado sobre o livro. Não tem jeito, vou ter que ler novamente. E fico feliz por isso. 
 
3º Americanah – Chimamanda Ngozi Adichie (Ed. Cia das Letras)
 
Primeiro do clube de 2016 e também o mais cheio. Bom livro que rendeu uma excelente discussão.

Os melhores começos de livros que abandonei (ou tive que abandonar)

kalebe2
Monsieur Pain – Roberto Bolaño (Ed. Cia das Letras)
 
Na faculdade esse semestre tive uma aula de Vanguardas latino americanas e para falar de um poeta chileno, o Vicente Huidobro (que eu já sabia que Bolaño gostava), a professora citou esse livro do Bolaño. Se eu já gostava dele antes, imaginem agora.
 
2º Coração de aço – Brandon Sanderson (Ed. Aleph)
 
E se os super heróis existissem no nosso mundo? O que os impediria de agir contra nossa vontade? Aqui você encontra respostas e uma história muito bacana.
 
Respiração Artificial – Ricardo Piglia (Ed. Cia das Letras)
 
Prosa envolvente de Piglia me conquistou e pensando nela agora … acho que vou colocar ele nas leituras de 2017.
 
Eu estou vivo e vocês estão mortos – Emmanuel Carrère (Ed. Aleph)
 
Duas coisas me atraíram muito nesse livro: 
1º – Emmanuel Carrère – Um dos meus autores favoritos.
2º – Philip K. Dick – Autor que me fascina. 
O que pode dar errado?
 
5º Livro dos abraços – Eduardo Galeano (Ed. L&PM)
 
Livro repleto de sabedoria que pode ser lido aos poucos. Grande descoberta!

Top 7 leitura

kalebe3 7º O quinze – Rachel de Queiroz (Ed. José Olympio)
 
Primeiro contato com Rachel de Queiroz e O quinze foi uma porrada. Livro que narra uma realidade devastadora com inúmeras nuances e uma força impressionante. E ainda trouxe detalhes que eu nunca tinha ouvido falar sobre a seca.
 
Butcher’s crossing – John Willians (Ed. Rádio Londres)
 
Livro “novo” de John Willians, autor de Stoner (a melhor leitura de 2015 e também das melhores da vida) vai ter sempre prioridade na leitura. Livro que começa lentamente e apresenta um personagem que vai encontrar em contato com a natureza de um jeito que ele não vai esquecer. Livro que começa morno e te conquista logo em seguida. John Willians, que homem!
 
São Bernardo – Graciliano Ramos (Ed. Record)
 
Livro que eu li para o encontro Espanador e Fórum entre pontos e virgulas. Graciliano é desses caras que quando você lê, fica impressionado pelo domínio e principalmente pela forma de contar histórias. São Bernardo vai ficar na memória. 
 
Olga – Fernando Morais (Ed. Cia das Letras)
 
Juliana estava certa. 
Pra quem não sabe, esse é um dos livros favoritos da vida dela e eu não tinha lido antes. Li para o clube e foi incrível. Olga é uma inspiração e tenho que ouvir a Juliana mais vezes.
kalebe4Arte de pedir – Amanda Palmer (Ed. Intrínseca)
 
LIvro que me deixou pensando na minha relação com o mundo em vários aspectos. Devorei o livro e fiquei pensando que quero que meus amigos o leiam também.
 
2º O céu de Lima – Juan Gómez Bárcena (Ed. Alfaguara)
 
O livro mais divertido e bacana que li no ano. Mistura de ficção com história onde dois amigos se passam por uma mulher apaixonada se correspondendo com um grande autor peruano. Livro que vale a pena conhecer e se encantar.
 
Empatados em 1º lugar estão os dois livros: Dois Irmãos foi o melhor livro que eu li, mas a emoção e a empolgação que eu senti lendo Harry Potter e a criança amaldiçoada foram singulares. Emoção X Razão empatados. 
 
Dois irmãos – Milton Hatoum (Ed. Cia das Letras)
 
Hatoum conseguiu criar em Dois irmãos um romance tão poderoso, que enquanto você lê fica com a impressão que já conhece Manaus ou ainda que é possível sentir cheiros que vão além das descrições. Tudo ganha vida e você tem certeza que a história de Yaqub e Omar é dos melhores livros que você já leu na sua vida. 
 
Harry Potter e a criança amaldiçoada – J.K.Rowling, Jack Thorne e John Tiffany (Ed. Rocco)
 
Foi extremamente emocionante e nostálgico poder voltar ao mundo de Harry Potter. Cada vez mais entendo que ele foi uma parte muito importante da minha formação como leitor. E apesar de alguns problemas, eu amei o oitavo livro. Gostei dos novos personagens (Scorpio, essa é pra você <3) e fiquei torcendo pra que ao invés de um livro (em peça, porra J.K.!) tivessem mais livros. 

 

Um comentário em “[Mania de listas] As muitas categorias do Kalebe

  1. Li pouco também em 2016, foi um ano complicado pessoalmente e profissionalmente que acabei trocando momentos que podia ler por séries de tv para não ter que pensar, sabe?
    2017 será diferente.
    Dicas anotadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *