[Mania de Listas] Melhores leituras do Kalebe

2015 foi um ano de poucas leituras. Voltei a estudar e foi bem difícil de acompanhar as leituras “normais” com a academia.

Dentro dessa loucura, os clubes de leitura foram uma alternativa para minhas leituras. Boa parte delas foram de livros do [Leituras Compartilhadas] ou do Leia Mulheres. Apesar dessa dificuldade em ler mais, foram ótimas leituras em 2015.

Aqui vai a lista:

1 – Stoner, John Willians (Editora Rádio Londres)

Tanta gente falando sobre este livro e mesmo assim a leitura foi uma surpresa. Livro espetacular sobre a banalidade das nossas vidas.

Livro mais que recomendado. Uma pequena obra-prima.

2 – Meus Documentos, Alejandro Zambra (Cosac Naify) 

Em seu 4º livro, agora de contos, o autor chileno se mostra cada vez melhor. Meus documentos é composto de 11 contos que juntos formam quase uma síntese da produção do autor até agora e ainda vai além.

Zambra já está entre os meus autores favoritos, daqueles que você espera ansiosamente pelo próximo livro. Meus documentos é incrível. Falei mais sobre o livro aqui.

3 – Herdeiro do Império, Timothy Zahn (Editora Aleph)

Além de ser uma excelente história sobre o universo expandido de Star Wars (ou agora parte do selo Legends), este livro está aqui para celebrar 2015 como o ano de Star Wars. Filme novo e maravilhoso (ainda não viu? Corre pro cinema para provavelmente o melhor filme de Star Wars já feito – Deu pra perceber a empolgação???).

Timothy Zahn criar uma das histórias mais memoráveis para os fãs de SW: a “Trilogia Thrawn” é uma aventura inesquecível. Você não vai se arrepender. Falei mais sobre este livro aqui.

4 – HHhH, Laurent Binet (Companhia das Letras)

Um dos livros favoritos da Juliana. Ela tinha cansado de me indicar e esse ano fizemos um desafio do amigo com a Juliana, Denise e a Tati. Por essas coincidências do destino o meu livro escolhido foi exatamente esse que a Juliana já tinha me indicado. E HHhH foi uma das minhas melhores leituras do ano. A Juliana já falou dele aqui no blog, mas não estava preparado.

A forma como o autor constrói a história desses dois heróis que resolvem deter Heydrich é impressionante e por mais que você saiba como a História já aconteceu, você ainda torce pelos dois. Livraço.

5 – Pequenas Virtudes, Natalia Ginzburg (Cosac Naify)

Natalia Ginzburg é uma escritora especial. Neste seu livro de 11 ensaios, ela consegue tratar dos temas mais variados e a sensibilidade continua a mesma. Leitura obrigatória em 2015.

Ela escreve com uma dureza, mas ainda sim com ternura. Difícil de explicar. Tem que ler.

6 – Middlesex, Jefrey Eugenides (Companhia das Letras)

Nossa primeiro livro do [Leitura Compartilhada] em 2015, tem uma das histórias de família mais sensacionais que eu já vi.

Eugenides, o cara que só escreve ótimos livros (pena que demoram sete anos entre um e outro).

7 – Contos Reunidos, João Antônio (Cosac Naify)

2015 foi o ano em que eu finalmente descobri João Antônio.

Eu já havia lido uns contos do autor, mas este Contos Reunidos é maravilhoso pois reúne cinco livros mais dois contos inéditos, além de fortuna crítica e uma bela apresentação. Ainda estou no começo da leitura total, no Malagueta, Perus e Bacanaço. Mas já posso dizer que João Antonio veio para ficar.

8 – Americanah, Chimamanda Ngozi Adichie (Companhia das Letras)

Uma das minhas primeiras leituras do ano e fiquei fascinado com a primeira parte do livro. Ifemelu, coloca o dedo na ferida no preconceito que existe de uma forma velada. Americanah é um livro que incomoda e te faz pensar. A nossa convidada Mariana falou dele n’O Espanador.

Esse livro só não está no TOP 3 pelo SEU final. Não gostei do caminho que o livro tomou. Livro com ótima discussão para o nosso 1º encontro em 2016 no [Leituras Compartilhadas], que será dia 22 de janeiro a partir das 19h30 na Livraria da Vila da Fradique Coutinho.

9 – Deixa Comigo, Mario Levrero (Rocco)

Coleção Otra Língua traz autores da América Latina e já é uma das favoritas aqui d’O Espanador. Mario Levrero, grande autor uruguaio e que nos faz perguntar porque não tínhamos lido ele antes. Leia e se surpreenda. Falei deste livro aqui.

10 – O Sol é para todos, Harper Lee (José Olympio)

Mais uma leitura para um clube, só que dessa vez para o Leia Mulheres do Rio de Janeiro. Clássico que encantou tantas gerações e que continua sendo maravilhoso. Scout é daquelas personagens que a gente não esquece e o Atticus Finch vai morar sempre nos nossos corações.

Na mesma época rolou uma comoção mundial porque ia ser lançado um novo livro da Harper Lee que é uma continuação de O Sol é para todos, chamado Vá, coloque um vigia.

Top 3 – HQ
Ano passado foi uma lista de 10 quadrinhos, mas mesmo com a dificuldade deste ano não posso deixar de fazer um top 3:

1 – Homem Aranha Azul, Jeph Loeb e Tim Sale (Salvat)

Livro que faz parte da coleção de Graphic Novels da Marvel e como meu amigo Thiago Candido falou, essa é uma das histórias que te faz lembrar porque o Peter Parker é o maior herói de todos.

Neste Azul, o Aranha lembra sua primeira e trágica paixão: Gwen Stacy. Apaixonante e melancólico. Aranha é o maior de todos.

2 – Pilulas Azuis, Frederik Peeters (Nemo)

História honesta sobre uma doença que mesmo depois de tanto tempo, temos dificuldade em lidar. Corajoso e a forma como a história é contada é daqueles quadrinhos que você queria que muitas outras pessoas conhecessem.

3 – Lições, Vitor e Lu Cafaggi (Panini)

Provavelmente sempre que tiver Vitor e Lu Caffagi em mais uma história da Turma da Mônica ela vai ser citada aqui. Sempre maravilhoso voltar a esse universo. Falei mais sobre este livro aqui.

Prêmio Leitura da Academia 
Dentro dos livros que eu li ‘espontaneamente’ este ano, vou destacar um que realmente me impressionou: Édipo Rei, do Sófocles.

Dentro das leituras acadêmicas que eu fiz, algumas foram uma ótima surpresa como esta peça. Já tinha uma ideia das tragédias gregas, mas Édipo Rei é impressionante. Os gregos realmente sabiam das coisas.

Sobre reler os livros
Este ano por conta dos clubes de leitura, aconteceu algo que eu não fazia em muito tempo: reler alguns livros.

E a minha maior alegria foi poder reler meu livro favorito: Cem Anos de Solidão, do Gabo Falei um pouco sobre a experiência em um texto.

Outro livro que reli para um encontro especial foi Os Detetives Selvagens do chileno Roberto Bolaño.

A Lua Limaverde, a Denise Mercedes, a Luara e a Aline Aimee vieram de longe para falarmos sobre um dos livros mais incríveis que eu já havia lido. E fazia muito tempo desde a minha primeira leitura, então foi uma experiência interessante ler novamente. Foi uma edição especial do [Leituras Compartilhadas] + Fórum entre Pontos e Vírgulas + um monte de gente linda. Foi bem especial.

Ainda teve mais quatro ótimas releituras: O Estranho caso do Dr. Jekyl e Mr. Hide, Robert Stevenson; Umbigo sem Fundo, Dash Shawn; Antonio, Beatriz Bracher; e Formas de Voltar para casa, Alejandro Zambra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *