Let´s talk about sex!

Continuando no tema “livros que te ajudam a viver sua vida”, hoje vou falar sobre Como pensar mais sobre sexo, do Alain de Botton. Esse é mais um daqueles livros da coleção School of Life e novamente é uma leitura bem interessante.
Alguém pode perguntar: “já não pensamos demais em sexo?” Vivemos numa sociedade bem hipócrita que tem um pensamento conservador mas que faz o possível para associar todos os aspectos da vida ao sexo. Aí temos propagandas de cerveja hipersexualizadas (e misóginas, diga-se de passagem). Novelas que giram em torno de sexo (oi, novela das 23h!), Revistas que te ensinam a enlouquecer homens na cama ou a pegar todas as mulheres disponíveis. Temos sites de relacionamento para quem só quer sexo, temos aplicativos para quem quer só sexo e agora temos o lado “negro”: aquelas comunidades de pervertidos que compartilham dicas de como assediar mulheres em transportes públicos e coisas piores.
Nunca o sexo foi tão explicito (me perdoem o trocadilho) como nos dias atuais e, me parece, nunca as pessoas foram tão insatisfeitas com sua vida sexual. Ao lermos esse livro, percebemos que, talvez, essa insatisfação seja resultado dessa massificação do sexo, que nos leva a ter expectativas irreais de como nossas vidas sexuais deveriam ser e um sentimento de culpa que em certa medida, ainda carregamos.

Neste livro o autor “propõe”, entre outras coisas, que deixemos de lado a obsessão pelo sexo. Que aceitemos que amor pode vir sem sexo e que sexo sem amor não é uma coisa necessariamente ruim. Devemos nos conformar que a rejeição é normal e que você não vai morrer se não for desejado/ amado por “aquela pessoa especial”.
Ele também dedica um parte do livro a falar dos relacionamentos de longa data que ficam estagnados. Que nunca ouviu falar do casal que faz sexo, há “anos”? A solução que ele dá não é muito original, mas às vezes precisamos ouvir obviedades de alguém mais “qualificado”, tipo um filosofo, para que acreditemos nelas.
Mas a parte que achei mais surpreendente foi como ele abordou a pornografia. Ele escreve que a pornografia é de certa forma um mal. Que a superexposição ao sexo, de certa forma, nos torna insensíveis ao que o sexo deveria verdadeiramente ser: um encontro de pessoas que sentem desejo uma pela outra. E esse desejo vai além do corpo da pessoa. A pornografia hoje é disseminada e muitas vezes carece que aspectos morais, como compaixão, bondade e empatia. Alain de Botton não sugere o fim dela, mas uma nova forma de se fazer pornografia. Algo que deixe de ser ginecológico e passe a ser mais cerebral e emocional. Ela acha que a pornografia deveria ter contexto, não ser só sexo pelo sexo. Pensei que os “livros Mulherzinha” clássicos, são o mais próximo desse ideal. Neles sempre existe um porquê para o ato sexual. Os personagens têm uma vida, têm aspirações, têm sentimentos. Não são somente máquinas de fazer sexo.
No fim, penso que o autor quer que tenhamos um olhar mas abrangente sobre sexo. Que passemos a enxergar esse aspecto da vida não como uma coisa física, mas emocional e psicológica e que não há nenhuma vergonha nisso. Como não há vergonha em aceitarmos a maioria de nossas “taras” e fetiches.
A vida seria mais fácil se as pessoas não tivessem desejo sexual. Teriam menos idiotas povoando a Terra, é verdade. Mas, também teríamos menos arte, literatura, moda, gastronomia e com certeza não teríamos bandas de rock como o Whitesnake e o Kiss (o que, na minha opinião, seria uma pena…).
Sexo complica tudo por um lado mas as vantagens… ah! as vantagens… Esse livro vale a pena ser lido por isso: Alain de Botton não é uma colunista da Cosmopolitam dizendo que você vai ter uma vida sexual digna de canções épicas. O que ele diz é que as frustrações são muitas e  mais frequentes que os orgasmos, mas que vale a pena buscar uma vida sexual satisfatória e essa busca começa entendendo o que você espera do sexo. Esse livro pode ser dar uma ajudinha nessa busca.
Como pensar mais sobre sexo
Autor: Alain de Botton
Tradução: Cristina Paixão Lopes
Editora Objetiva, 2012  
150 pgs

Um comentário em “Let´s talk about sex!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *