[Especial de férias] Juliana

Julho este ano representa para mim férias do trabalho. Férias que vinha sonhando há muito tempo…

Mas o fato é que já planejei mil leituras e tantas outras coisas que quero fazer neste um mês, que tenho certeza que não conseguirei fazer boa parte do que quero e ficarei frustrada… Esta é a história da minha vida. Mas tudo bem… Um dia me acostumo.

Findo, meu chororô, vamos a parte boa. Às coisas que importam neste post: as leituras de férias.

Comecei a ler Prisão da fé em março deste ano. Estava um num dia de ócio e a fim de ler um pouco sobre cientologia… Mas não estava preparada para toda  maravilhosidade que é este livro.

O jornalista Lawrence Wright faz um panorama da religião e de seu criador, o genial (e interpretem isso como quiser) Ron Hubbard. A coisa é tão instigante e ao mesmo tempo tão cheia de informações e histórias surreias, que parei a leitura e pretendo recomeçar o quanto antes.

Mesmo sem ter terminado a leitura, já o recomendo para todos. Nas pouco mais de cem páginas que li já fiquei fascinada por todo esse universo sempre tão pouco aberto a estranhos, além das milhões de excentricidades do fundador da religião.


Das pendências da vida, o [Leituras Compartilhadas] de agosto vai me ajudar a sanar uma. Nunca li Cem anos de solidão do Gabo e o livro foi escolhido para o próximo encontro. Já tive muitas oportunidades de começar este livro, inclusive já tenho o meu exemplar novinho, mas sempre adiava por motivos de: monstrinho da expectativa. Trata-se do livro favorito da vida do Kalebe (inclusive, o tema do encontro de agosto é “livros de cabeceira” e foi ele que indicou o mesmo). E quando ele gosta muito de alguma coisa, a possibilidade deu não gostar muito é, digamos, bem grande…

Eu sei que tenho que ler ainda assim e tirar minhas conclusões. Mas tem muita emoção envolvida nisso tudo… Se vou gostar ou não, em agosto vocês descobrem 😉

Dos lançamentos, acabei de receber Estação Atocha, do Ben Lerner, e quero muito ler. Confesso que sei muito pouco sobre a história, mas prefiro que seja assim. Lembro que quando a editora (Rádio Londres) anunciou no começo do ano quais seriam seus lançamentos, fiquei muito curiosa com esse. E com Stoner. Bom, Stoner me arrebatou de uma forma que eu até hoje não sei dizer. Espero que meu “palpite”/curiosidade em relação ao Estação Atocha também dê bons resultados.

Dia desses estava ajeitando minha humilde pilha de livros. Lá no meio estava a nova edição (a da Companhia das Letras) de As meninas, da Lygia Fagundes Telles. Comprei ele recentemente de uma amiga muito querida e acho que esta pode ser uma boa oportunidade para uma releitura…

Li As meninas há quase dez anos, numa edição antiga, comprada num sebo, do Círculo do Livro. Foi uma leitura arrebatadora. Mas será que hoje em dia vou gostar dele ainda? Ainda não sei dizer, mas sinto uma vontade imensa de revisitar minha pirâmide favorita…

Um comentário em “[Especial de férias] Juliana

  1. Expectativa? Milhares de planos? Não saber lidar com nada disso? Sou dessas também. Também tenho uma dívida com Cem anos de solidão e Estação Atocha está me tentando muito, e quanto As Meninas, quando li foi devastador…a história da Coelha me provocou feridas incuráveis…mas engraçado, não sei se uma releitura causaria o mesmo impacto, fiquei pensando no que você falou…se não seria melhor manter essa energia literária catalisada, afinal a experiência também é fruto do momento de leitura…não sei. Quando reler, comenta como foi ?
    bjo grande.

  2. Expectativa? Milhares de planos? Não saber lidar com nada disso? Sou dessas também. Também tenho uma dívida com Cem anos de solidão e Estação Atocha está me tentando muito, e quanto As Meninas, quando li foi devastador…a história da Coelha me provocou feridas incuráveis…mas engraçado, não sei se uma releitura causaria o mesmo impacto, fiquei pensando no que você falou…se não seria melhor manter essa energia literária catalisada, afinal a experiência também é fruto do momento de leitura…não sei. Quando reler, comenta como foi ?
    bjo grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *