[Hello, editoras!] The Ever Trilogy

Tempos difíceis pedem medidas drásticas. Com o dinheiro curto eu me rendi definitivamente aos e-books. Uso Kobo (por enquanto, mas estou esperando o novo Kindle) e comprei alguns livros e baixei muitos outros no site da Cultura. Gastei em mais de 30 e-books o valor que gastaria em três ou quatro livros.

O grande “problema” dos livros grátis é que muito deles são o primeiro volume de uma trilogia. É uma estratégia meio traficante de drogas: te dou uma amostra, mas você tem que comprar as outras doses. Foi assim que eu descobri a “trilogia Ever” (The Ever Trilogy, no original) de Jasinda Wilder.

Pensa num novelão, daqueles cheios de reviravoltas, dramas, angustias, crises e um grande amor. Pensa numa história de amor, de perda, de superação, de perdão e recomeços. É  isso você encontra nos três livros dessa série.

A história a principio é bem simples: Ever e Caden se encontram pela primeira vez aos 15 anos num acampamento para jovens e promissores artistas. Ela pinta, faz escultura e se interessa por fotografia. Ele é um desenhista precoce e talentoso. Eles se interessam um pelo outro de um jeito inocente e gracioso e depois que acampamento termina eles mantém a amizade por cartas. Cartas escritas a mão são “personagens” charmosamente old fashion nas historias e nesses livos não poderia ser diferente: Cadem escreve em folhas de caderno simples e Ever escreve em papeis de carta especiais e perfumados. E cada carta cada um escreve sobre seus medos, suas esperanças suas tristezas.
Durantes anos eles se correspondem até que um acontecimento trágico faz com que Caden vá encontrar com Ever. Nesse reencontro, eles acabam se apaixonando e quando você acha que tudo caminha para um “felizes para sempre”, eles sofrem um acidente de carro e Ever entra e coma. Nesse momento entra em cena a irmã gêmea (sim, é um novelão com uma irmã gêmea que “bagunça” um pouco as coisas) e todo um drama se desenrola.
O que eu mais gostei nesses livros é a forma como a autora desenrola a história: os altos e baixos, as reviravoltas. Nenhum personagem é bonzinho demais, ou incrivelmente ruim. São pessoas que enfrentam dilemas, que sofrem e amam, são “normais”. Apesar de serem três livros em nenhum momento você se sente enrolada, a história se desenvolve na medida certa.

Eu particularmente não gosto muito de histórias narradas em primeira pessoa,  mas nesse caso achei que em geral ficou bom, não me senti constrangida lendo (coisa que sempre acontece quando você lê livros ruins escritos em primeira pessoa).
Acho que, às vezes, a autora exagera nas cenas de sexo. Em alguns momentos os personagens parecem coelhos no cio e, bom, se as pessoas estão o tempo todo transando, não sobra muito tempo para se desenvolver um historia. Mas tenho que reconhecer que quando parece que só vai ter sexo a autora percebe o exagero e a história fica mais equilibrada. Mas ainda acho que no momento em que ela revisou o texto poderia ter tirado um pouco do sexo.
“The Ever Trilogy” foi o meu primeiro contato com a obra de Jasinda Wilder. Li outra coisas dela depois e para mim ela tem altos e baixos: livros muito bons, como essa trilogia e coisas mais “bobinhas” como serie “Big Girls…” A editora Novo Conceito publicou ano passado outro livro dela, Louco por Você. Tomara que tenha ido bem nas vendas para e que eles publiquem “The Ever Trilogy”. Eu adorei esses livros e recomendo muito a leitura!!
Forever & Always ( The Ever Trilogy – book one )
After Forever (The Ever Trilogy – book two)
Saving Forever ( The Ever Trilogy – book three)

Autora: Jasinda Wilder 

Um comentário em “[Hello, editoras!] The Ever Trilogy

  1. Amanda, gostei particularmente quando você diz que não se sentiu enrolada pela autora. Isso me deixou bem curiosa, porque esse tipo de história geralmente me causa essa sensação. Vou acompanhar os comentarios do livro. Entretenimento tem que valer seu tempo…sempre. beijo grande.

  2. Amanda, gostei particularmente quando você diz que não se sentiu enrolada pela autora. Isso me deixou bem curiosa, porque esse tipo de história geralmente me causa essa sensação. Vou acompanhar os comentarios do livro. Entretenimento tem que valer seu tempo…sempre. beijo grande.

  3. Amanda, gostei particularmente quando você diz que não se sentiu enrolada pela autora. Isso me deixou bem curiosa, porque esse tipo de história geralmente me causa essa sensação. Vou acompanhar os comentarios do livro. Entretenimento tem que valer seu tempo…sempre. beijo grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *