[Retrospectiva 2014] Os autores que se foram (parte 1)

O primeiro post do ano, e da nossa retrospectiva do mundo literário é um pouco triste. Vamos falar um pouco sobre os autores que morreram em 2014. 

Provavelmente deixaremos muita gente de fora, afinal foi um ano ceifador, infelizmente. Ainda assim, acabamos dividindo em duas partes.

Mas a ideia do post, além de ser uma pequena homenagem e de trazer uma mini biografia (que não esgota e nem pretende esgotar a importância do autor) é mostrar algumas coisas que encontramos pela internet. Vídeos e entrevistas e coisas inusitadas.

Ariano Suassuna

Ariano nasceu em 16 de junho de 1927, em João Pessoa. Seu pai, João Suassuna, era presidente do estado (cargo equivalente a governador) e foi assassinado e 1930 e sua família mudou-se Taperoá. Foi lá que Ariano teve seu primeiro contato com elementos muito fortes na sua obra, como os desafios de viola, as peças teatrais de improviso. Formou-se em Direito, mas nunca exerceu. Foi enquanto estudava na Faculdade de Direito do Recife que montou um grupo teatral Teatro do Estudante de Pernambuco e escreveu e montou peças, como Uma mulher vestida de sol e Os homens de barro.


Em 1970 cria o Movimento Armorial, que tem como objetivo criar obras consideradas eruditas a partir da cultura popular nordestina, a valorizando e divulgando a sua riqueza. Sobre cultura popular, Ariano tinha opiniões fortes e polêmicas (como sobre a banda Calypso)

Sua obra é vasta e passei pelo romance, contos, poesia e peças teatrais, entre os mais conhecidos ficam O auto da compadecida O romance d’a Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, A padra e a lei. Em 1990 assumiu a cadeira nº32 da Academia Brasileira das Letras.

Faleceu em Recife, no dia 23 de julho, aos 87 anos.

Abaixo, um vídeo de uma de suas famosas aulas-espetáculos

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=QVb1OtBCqU0]

Gabriel Garcia Márquez

Nascido em 6 de março de 1927 na pequena cidade de Aracataca, Colômbia, Gabo dispensa grandes apresentações. Figura querida aqui no blog, há dois textos que destacamos aqui:

Quando Gabo completou 85 anos

Quando Gabo morreu, no dia 17 de abril

Abaixo, um pequeno vídeo em que Márquez discursa no Congresso Internacional da Língua Espanhola e conta sobre o período em que escreveu Cem anos de solidão

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=BWKQxvf3hgw]

Outro vídeo que merece ser visto é uma entrevista que Gabo fez com o poeta chileno Pablo Neruda:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=1520QZIclmI]

Um link que vale a pena é a entrevista de Gabo à revista Paris Review.

INTERVIEWER

Do you think that it’s common for young writers to deny the worth of their own childhoods and experiences and to intellectualize as you did initially?

GARCÍA MÁRQUEZ

No, the process usually takes place the other way around, but if I had to give a young writer some advice I would say to write about something that has happened to him; it’s always easy to tell whether a writer is writing about something that has happened to him or something he has read or been told. Pablo Neruda has a line in a poem that says “God help me from inventing when I sing.” It always amuses me that the biggest praise for my work comes for the imagination, while the truth is that there’s not a single line in all my work that does not have a basis in reality. The problem is that Caribbean reality resembles the wildest imagination.

João Ubaldo Ribeiro

Nasceu no dia 23 de janeiro de 1941 na ilha de Itaparica, Bahia. Cursou a Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia e fez mestrado em Ciência Política na Universidade do Sul da Califórnia. Começou sua carreira como jornalista em 1957 no Jornal da Bahia como repórter. Também colaborou para outros jornais, como O Globo, O Estado de S.Paulo e para o alemão Frankfurter Rundschau.

Seu primeiro romance é de 1961, Setembro não faz sentido Antes disso, participou de algumas coletâneas de contos. Entre suas principais obras, estão Viva o povo brasileiro e Sargento Getúlio. Assumiu, em 1993, a cadeira nº34 da Academia Brasileira das Letras.

Morreu no dia 18 de julho, no Rio de Janeiro.

Abaixo, um vídeo muito curioso. João Ubaldo era figura comum pelas ruas de Itaparica, apesar de morar no Rio de Janeiro. Um programa local fez um entrevista de forma muito informal, em seu quintal e o autor fala de tudo um pouco. Chega a ser um tanto surreal:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=5ZiLWEYRJVI]

Outra entrevista é ao programa Roda Viva de 2012:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=lBPNEPRKrPg]

Manoel de Barros

Nascido em Cuiabá, no dia 19 de dezembro de 1916, Manoel viveu no Rio de Janeiro boa parte da sua juventude, onde formou-se, em 1941, bacharel em Direito.

Aos 18 anos ingressa na Juventude Comunista, mas rompe com o Partido em 1945 e vai viver por algum tempo na Bolívia e depois o Peru. Volta ao Brasil em 1960 e foi morar em Cuiabá, onde se tornou criador de gado. Segundo o autor, foi apenas depois de conseguir manter e ganhar dinheiro com sua fazenda que pode se dedicar totalmente à poesia. No entanto, sua carreira na poesia começou em 1937 com o livro Poemas concebidos sem pecado.

Manoel morreu no dia 13 de novembro.

Segundo o documentarista Pedro Cezar, Manoel não gostava muito de gravar entrevistas. tanto que foi depois de muita conversa que o poeta topou dar uma entrevista. Abaixo, o resultado, no filme Só dez por cento é mentira:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=QZLC8wNVtfs]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *