[Mania de listas] Amanda em: Minha (como sempre) sem sentido lista dos melhores de 2014

Esse ano foi esquisito. Eu li pouco e resenhei menos ainda. Por isso fazer a lista dos 10 mais vai ser um pouco mais difícil que nos anos anteriores.  Levando isso em consideração vamos a lista dos mais legais do ano:

Começamos pelas “mulherzinhas”
   

Irmandade da Adaga Negra – J.R. Ward (ed. Universo do Livro)

Essa série está no décimo segundo livro e como qualquer série com tantos livros tem seus altos e baixos, mas na média os livros são muito bons: além de mostrar vampiros que transpiram testosterona, incrivelmente falam de coisas como o papel da mulher na sociedade e homossexualidade. Isso é muito mais que se pode esperar de um livro “mulherzinha”.

Mr. Cavendish, I Presume – Julia Quinn (ed. Avon Books)

Julia Quinn é, em minha opinião, a melhor escritora de romance histórico na atualidade. Nesse livro ela conta a historia de Amélia Willoughby, uma mulher prometida a Thomas Cavendish, Duque de Wydham, que não tem a menor pressa em assumir esse compromisso. Mas tudo muda quando Thomas passa a conhecer melhor Amélia. Só que o final feliz é ameaçado com a chegada de primo distante que aparece pondo em dúvida seu direito de Thomas ao título. Reconstrução de época incrível, diálogos espertos e uma das cenas românticas mais, bem, românticas, que eu já li garantem um livro gostosíssimo de ler e com lugar garantido na minha lista de melhores.

Ligeiramente Casados – Mary Baloch (ed. Arqueiro)

A Arqueiro vem, desde o ano passado, lançando romances de época com boas histórias e um cuidado com a edição poucas vezes visto para esse tipo de publicação. Esse último lançamento é um dos melhores. Gosto da heroína autossuficiente que só se casa com o major mal humorado para manter a herança. Gosto da forma como eles constroem o relacionamento e a incerteza do final feliz que acompanha a história até praticamente o final do livro. Merece estar na lista com certeza.

Uma Prova de Amor – Emily Giffin (ed. Novo Conceito)

Emily Giffin é a minha descoberta do ano. Nunca tinha lido nada dela e depois que li o primeiro, li tudo que achei dela em português e inglês. Uma prova de Amor é um dos melhores livros que ela escreveu e conta a história de Claudia e Ben. Eles são uma espécie de casal perfeito concordando com quase tudo, inclusive com a ideia de nunca ter filhos. Mas o tempo passa e um dos dois surpreendentemente muda de ideia. Como manter um relacionamento quando um dos dois não concorda num ponto tão importante quanto filhos? Mais um livro “mulherzinha” que foge do superficial com um tema espinhoso, personagens marcantes e uma história envolvente. Adorei.

Agora vamos aos melhores de ficção cientifica:
                 
Sol Desvelado – Isaac Asimov (ed. Aleph)

O Bom Doutor é sempre presença na minhas leituras anuais. Suas histórias se passam no futuro, mas as dúvidas, angústias e dilemas são os mesmos que as pessoas tinham e ainda tem. Acho que isso é o que torna suas histórias tão envolventes. Sol Desvelado é o segundo livro protagonizado pelo detetive Elijah Baley e o androide R. Daneel Olivaw. Eles investigam um assassinato num mundo onde as pessoas evitam a todo o custo o contato físico umas com as outras. A mistura de romance policial com ficção cientifica tão improvável quando divertida. Altamente recomendável.

Star Wars: Herdeiro do Império – Timothy Zahn (ed. Aleph)

Nunca achei que fosse ler alguma coisa que me trouxesse a sensação de estar (re)vendo a trilogia clássica de Star Wars. Mas aí eu li O Herdeiro do Império e tudo mudou. Como o Kalebe provavelmente vai querer resenhar este livro, tudo o que eu vou dizer é que a este livro é forte na Força e que faz justiça a Star Wars como nem a trilogia nova conseguiu fazer. Estou me contorcendo em antecipação ao segundo livro.

Finalmente falo dos livros científicos:

Batendo à Porta do Céu – Lisa Randall (ed. Cia das Letras)

Apesar de ele ter um subtítulo enganador, este livro é um dos meus preferidos por traçar um panorama da física de partículas, o ramo mais “badalado” da física atual, e pelo seu relato de como foi construído o Colisor de Hádrons onde foi comprovada a existência do famoso bóson de Higgs. O Colisor é a máquina construída pelo homem e seu projeto e execução são um épico relatado de forma precisa e esclarecedora nesse livro. Leitura fundamental para nerds e curiosos e interessados em ciência em geral.

O Que O Cérebro tem Para Contar – V.S. Ramachandran (ed. Zahar)

Alguns dos mistérios sobre a fisiologia e a forma como o cérebro funciona são revelados nesse livro maravilhoso. Nunca a neurologia foi tão acessível às pessoas comuns como em O Que O Cérebro Tem Para Contar. A forma como Ramachandran narra casos neurológicos intrigantes, experimentos engenhosos e formula suas teorias é incrível. Ele faz tudo isso num texto claro, conciso e delicioso de ler. Um dos melhores livros que eu li na vida.

Alex no País dos Números – Alex Bellos (ed. Cia. das Letras)

A matemática é uma das minhas grandes frustrações. Não tenho o pensamento abstrato necessário para por em prática nada além das operações básicas e alguns teoremas de geometria Euclidiana. Apesar disso esse é um assunto que me fascina. Alguém já disse que a matemática é a linguagem do universo e eu não duvido disso. Alex no País dos Números realmente é uma viagem pelo mundo da matemática que faz até alguém com pouca habilidade com números  se empolgar.

Ciência Picareta – Ben Goldacre (ed. Civilização Brasileira)

Com um texto divertido, cheiro de ironias  e muito embasamento científico  Ben Goldacre vai demolindo a pseudociência por traz de coisas como ginastica cerebral, homeopatia e o assunto da moda as coisas “detox”. Todo mundo devia ler antes de sair por ai tomando florais e suco de couve com salsinha

Bom é isso, que o ano que vem seja cheio de livros incríveis para todo mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *