[Mania de listas] As melhores leituras da Ju

Mais uma vez achei que não teria livros pra preencher uma lista de dez melhores leituras do ano. Mas é engraçado como tantos livros que, assim que terminei de ler, foram crescendo na minha cabeça, ganhando mais valor… No fim das contas tive que roubar muito… Pra poder encaixar tudo aqui e ainda teve coisa que ficou de fora…

Mas vamos às minhas listas (no plural mesmo…)

10- Você vai voltar pra mim e outros contos – Bernardo Kucinski (ed. Cosac Naify)

No ano em que lembramos os 50 anos do golpe militar, acho que este foi o único livro que li sobre o tema. Estranho… Pois é um tema que me interessa. Mas este livro de contos do Kucinski traz um olhar diferente sobre o assunto. Diferentes vozes narrativas contam como foram os anos da ditadura no país. Tocante e necessário! (resenha aqui)

9- Empate técnico Verão/Jane Eyre – J.M. Coetzee/ Charlotte Brontë (ed. Cia. das Letras/ Best Bolso)

Meu deussss! Como foi difícil escolher um representante para o nosso lindo e querido clube de leitura! A coisa foi tão tensa que lá embaixo tem mais um do [Leituras Compartilhadas]. Este ano lemos muitas coisas lindas e os encontros foram igualmente sensacionais! Queria que minha lista também tivesse espaço pro Marai e seu As brasas e pro Amós Oz e seu bafônico Caixa Preta, mas infelizmente eles ficaram “de fora”. Os livros que coloquei no empate são bem diferentes entre si. Verão, do Coetzee, foi uma delícia e uma descoberta. Uma biografia sobre o autor J.M. Coetzee, já morto, contada pelas mulheres que o conheceram e se relacionaram (sempre de forma desastrosa) com ele. Autorreferente, irônico e ácido… Coetzee, eu sei que você não é muito sociável, mas dê cá um abraço! Já Jane Eyre… que coisa mais maravilhosa! O pensamento feminista já está ali. Tantas coisas que ainda discutimos e a menina Charlotte já colocava em seu romance… Amor define.

8- Eleanor & Park – Rainbow Rowell (ed. Novo Século)

Fazia tempo que um juvenil não me animava tanto. Não porque o livro seja todo feliz, pelo contrário, mas porque é uma coisa tão sensacional que eu queria ter lido aos meus 15 anos. Tem como não amar Park e suas mixtapes e quadrinhos emprestados?

7- O torreão – Jennifer Egan (ed. Intrínseca)

O outro livro do [Leituras Compartilhadas] aqui da lista. Já tinha lido o fantástico A visita cruel do tempo e quando soube que O torreão antecedia o mais famoso romance da autora, não tive tanta curiosidade para ler. Mas ele foi votado para encerrar o ano do clube. E ao contrário do “histórico maníaco de expectativas da Juliana”, consegui desligar o botãozinho “isso não vai ser melhor que A visita… ” e gente! Que livro incrível. Egan brinca com o leitor e suas suposições, as camadas narrativas já estão lá… Enfim. Recomendado! (resenha do Menezes)


6- Oceano no fim do caminho – Neil Gaiman (ed. Intrínseca)

Gaiman, esse grande contador de história. Não há muito mais para falar sobre ele, além do que os meninos já disseram aqui no blog (resenha do Menezes e resenha do Kalebe). Mas vou tentar: é como se Gaiman estivesse do seu lado, te contando uma história que ele ouviu por aí. E você se diverte, se assusta, se relaciona com a história. E por isso que ele é deus.

5- Tudo o que sou – Anna Funder (ed. Cia. das Letras)

Ah, os alemães… que pessoas incríveis (na maioria das vezes, fique claro)! A autora (australiana) conta a história de um grupo comunista que foge da Alemanha assim que Hitler entra no poder. Uma história que pouco conhecia, pois precede a guerra e seus efeitos abomináveis. Mostra como a resistência era bem estruturada e foi metodicamente perseguida a partir de 1933. Mas por que disse que os alemães são pessoas incríveis? Dora Fabian, meus amigos. Que mulher! Os pensamentos que ela defendia na década de 20 ainda são tabu na nossa sociedade… O livro é baseado em fatos e personagens reais. (resenha aqui)

4 – 84, Charing Cross Road (ou Nunca te vi… sempre te amei) – Helene Hanff (Casa Maria Editorial)

Compartilhar o amor pelos livros… Essa já é a receita do meu amor por este livro. Uma amizade por correspondência, de duas pessoas completamente diferentes, mas que por conta do amor aos livros, pelos detalhes e belezas de uma edição, acabam se tornando grandes amigos. Só comprova que as pessoas dos livros são sempre as melhores pessoas! (resenha aqui)

3- Festa no covil – Juan Pablo Villalobos (ed. Cia. das Letras)

Ano passado tinha lido o segundo livro da “tilogia” do autor, o Se vivêssemos em um lugar normal, e ele entrou no meu top 10. O primeiro livro da série (lembrando que é daquelas séries temáticas) consegue ser melhor! Tochtli é um personagem adorável. Juan Pablo Villalobos consegue criar mais uma criança protagonista incrível (sempre tenho problemas com personagens infantis). (resenha do Kalebe)

2- Hotéis – Maximiliano Barrientos (ed. Rocco)

Uma das coisas mais delicadas que li este ano. Uma história sobre os efeitos que uma viagem pode causar nas pessoas que participam da jornada. Mas não pelas belas paisagens, pelos desafios e possíveis aventuras. E sim pelas pequenas coisas, pelas imagens individuais que formamos…

1- O ensaio – Eleanor Catton (ed. Record)

Definitivamente um romance que cresce com o tempo. Já tinha gostado muito do livro enquanto lia, mas com o tempo vi como os personagens e a forma como Catton narrava me afetaram, me marcaram. “Vida real” e uma peça de teatro se entrelaçam de uma forma em que os nós se confundem muitas vezes e essa é a beleza de tudo. E pensar que esse é o primeiro romance de uma autora ultra nova. Eleanor, você é destruidora mesmo! (resenha aqui)

Quadrinhos

Este ano fiz muitas leituras de quadrinhos, então tive que fazer essa divisão. Escolhi os cinco melhores.

5- Jane, the fox & me – Fanny Britt e Isabelle Arsenault (ed. Groundwood Books)

Uma história singela. Uma garota solitária que se refugia na leitura de Jane Eyre e amizades que surgem a partir daí. A bela história é acompanhada por ilustrações incríveis.

4- A queda de Murdock – Franl Miller e David Mazzucchelli (ed. Salvat/Panini)

Uma história poderosa sobre a vingança. Senhor do crime ensina mais que muito romance por aí. É assombroso! (resenha do Kalebe)

3- Bidu – Caminhos – Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho (ed. Panini)

Mais um belo acerto da coleção Graphic MSP. Uma história sobre recomeços e encontros. Impossível não se emocionar. (resenha aqui)

2- O pintinho (1 e 2) – Alexandra Moraes (ed. Lote 42)

Os dois volumes de coletânea das tirinhas do pintinho são sensacionais. Humor ferino, caustico… como queira chamar. Foi impossível não gargalhar muitas vezes durante a leitura.

1- Fábulas – roteiro: Bill Willingham e vários artistas (ed. Panini)

Li até o 11º volume desta série fantástica e só parei para economizar para o futuro. Uma releitura de personagens dos contos de fadas. Mas não há nada fofinho aqui: neste mundo criado por Bill Willingham, guerra, intrigas são cotidiano.  (resenha do Kalebe do primeiro volume)

8 comentários em “[Mania de listas] As melhores leituras da Ju

  1. Gostei da lista. O Torreão está entre minhas próximas leituras (vai ficar pro começo do ano que vem), e também pretendo ler Hotéis. Aliás, toda essa coleção Otra Língua é sensacional, estou muito fã. Ai, já tem um tempão que estou querendo ler algo do Villalobos, espero que em 2015 eu o faça…

    Beijooo, Livro Lab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *