[Mania de listas] As melhores leituras da Michelle

Todo fim de ano aqui no blog é essa alegria. Convidamos pessoas queridas e também listamos as nossas melhores leituras. Fazemos isso por dois motivos muito simples: 1) ADORAMOS uma lista e não queremos perder a oportunidade de usá-las por aqui; 2) além das resenhas que colocamos no blog, achamos que as listas trazem ótimas indicações.

Nossa maratona de listas começa hoje. Para mostrar que, apesar de tudo, 2014 teve coisas boas! Quem dá o start na maratona é a linda da Michelle Henriques.

Divirtam-se 🙂

10) Eu, Christiane F., a vida apesar de tudo – Christiane V. Felschrinow com Sonja Vukovic (ed. Bertrand Brasil)

O primeiro livro da Christiane F. foi o responsável pelo meu amor pela Literatura. Depois dele eu conheci vários autores e comecei a ler muito, então voltar a ela depois de 16 anos foi uma ótima experiência. Claro que não é um clássico como foi o primeiro, mas achei bastante interessante saber o que houve depois do fim do primeiro livro.  É um daqueles que você lê de uma tacada só, com grande curiosidade.

09) As Brasas – Sándor Márai (ed. Cia. das Letras)

Acho que a melhor parte de fazer parte de um clube de leitura é conhecer novos autores. E esse foi o caso de Sándor Márai. As Brasas foi o primeiro romance dele que li e me apaixonei de cara pela escrita dele. O clima de tensão é muito bem construído e o tema da amizade é muito bem discutido.

08) Precisamos Falar Sobre o Kevin – Lionel Shriver (ed. Intrínseca)

Como muitas pessoas, meu primeiro contato com essa história foi através do filme. Nesse ano tive a oportunidade de ler o livro e que surpresa. Demorei meses para concluir a leitura, pois o enredo é muito arrastado, mas não digo isso de forma negativa. A Lionel Shriver vai construindo uma linha do tempo através de cartas, então o tom emocional é muito pesado. E o final é simplesmente incrível.

07) Jane Eyre – Charlotte Brontë

Mais um clássico que estava parado na minha estante e finalmente tive a oportunidade de ler. E que livro! Os princípios de ideias feministas estão ali. Claro que no final é aquela coisa bonitinha e redondinha, mas que ótimo ler sobre uma heroína “feia” que conseguiu se virar sozinha durante praticamente o livro todo, algo muito raro levando em consideração a época de publicação da obra.

06) História do Olho (Georges Bataille)

Não sou a maior apreciadora da literatura erótica, mas esse aqui me conquistou, talvez pela alta carga de bizarrice. Neste livro Bataille transformou suas fantasias mais obscuras em uma novela bem interessante sobre a descoberta sexual de dois jovens.


05) It Chooses You/ O escolhido foi você – Miranda July (ed. Cia. das Letras)

Miranda July me causa sentimentos controversos, ao mesmo tempo em que seus livros são doces, são bastante excêntricos e é o caso de It Chooses You. Ele nada mais é do que uma coletânea de entrevistas que ela fez no processo de criação do filme The Future.  E o resultado ficou incrível!

04) A Convidada do Casamento – Carson McCullers (ed. Novo Século)

Em 2014 eu aderi ao #readwomen2014 e quis conhecer mais escritoras. Fuçando a minha estante eu encontrei esse da Carson e que surpresa maravilhosa. O enredo é aparentemente simples, uma menina se preparando para um casamento, sua convivência com a família e seus pensamentos. E tudo isso com um clima sulista maravilhoso.

03) The Bell Jar/ A redoma de vidro – Sylvia Plath (ed. Globo)

Sylvia Plath talvez tenha sido uma das minhas obsessões de 2014. Fui mais a fundo nos poemas dela e finalmente li seu único romance, The Bell Jar. Nele ela nos conta a história de uma mulher que “deveria estar vivendo plenamente”, mas sofre de depressão, e as consequências disso. É um livro lindíssimo, apesar do tema.

02) Minha Luta 1: A Morte do Pai  – Karl Ove Knausgård (ed. Cia. das Letras)

Um norueguês que tem menos de 50 anos, não muito famoso, resolve escrever a sua autobiografia. E ele faz isso em seis volumes com mais de 500 páginas cada. Parece prepotente, não? Eu também achava, até ler esse primeiro volume e ficar completamente sem reação. Parece exagero, mas o Karl Ove se tornou meu escritor preferido, e tudo isso por causa de uma autobiografia.

01) Minha Luta 2: Um Outro Amor – Karl Ove Knausgård (ed. Cia. das
Letras)

O segundo volume é ainda melhor. Neste ele trata basicamente na sua relação com a esposa e os filhos. E no meio disso ele consegue encaixar questionamentos e reflexões sobre amor, sobre depressão, sobre si mesmo. O melhor livro que li em 2014 e certamente um dos melhores da minha vida.

Michelle Henriques, 27 anos, louca dos gatos e dos livros. Vive em São Paulo e reclama todos os dias dos preços nos cinemas. Vive de obsessões, a atual é David Foster Wallace. Escreve no blog …in a handful of dust e também é uma das organizadoras do clube de leitura Bastardas

Um comentário em “[Mania de listas] As melhores leituras da Michelle

  1. Lá vem tu aumentando minha lista de querências, Michelle! <3
    Quero muito conhecer Sándor Márai e Lionel Shriver. Esse primeiro de Karl Ove eu comecei no kobo mas minha cópia estava com falha 🙁
    Beijão

  2. Amor da vida Karl Ove <3 também foram minhas melhores leituras de 2014! Ele é divino (não Deus pq esse é Gaiman :p )
    Amei The Bell Jar, que li por culpa sua. Também gostei demais de Carson McCullers. Tenho que ler Jane Eyre todo mundo indicando !
    bjo

Deixe uma resposta para Aline Aimée Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *