[Achados do sebo] Comprinhas quase virtuais

Em tempos preguiçosos como esses, são raras as expedições aos sebos para eu dar uma garimpada. Não que eu tenha ficado xarope e não goste mais daqueles empoeiradinhos charmosos. Adoro ir a sebos para passar uma tarde toda procurando coisas e descobrindo outras. Acontece que falta tempo. E aí, para achar aquele livro esgotado, temos de recorrer à internet, ao sebo virtual (pero no mucho).

O livro do próximo clube, o nosso [Leituras Compartilhadas] já foi escolhido: é o A Caixa Preta, do Amós Oz (dia 17 de abril, às 19h30 na Livraria da Vila do Shopping Higienópolis… #fikadica). Acontece que atualmente nas livrarias só temos disponível a versão pocket do livro. E como minha leitura atual é um pocket, impliquei com o tamanho da fonte, com o espaçamento, ou seja, fiquei de mimimi e cismei que queria a edição normal. Fucei, fucei e vi que tinha no Sebo do Messias. E eles permitem, em seu site, que você reserve o livro no seu nome e vá buscar (em até 72 horas). Como o sebo é bem perto do trabalho, achei simples e fiz minha reserva. E corri lá buscar os achados. Que, claro, procurei mais coisas!


Mas como outro livro que estou lendo no momento tem a ver* com o Fórum entre pontos e vírgulas, que lerá em abril O Amante, da Marguerite Duras para o projeto de Mulheres Modernistas (e Duras e esse livro estão no meu coração sempre), lembrei de um da autora que sempre vejo pelo Messias e adio a compra, A barragem contra o pacífico, e resolvi procurá-lo no site. E nem preciso dizer que não tinha o bendito livro. E eu não segui o mandamento primordial do sebo: se um achado é feito, a compra deve ser imediata. Fiquei a ver navios por ora.

Mas a busca pelo verbete “Marguerite Duras” me levou a dois achados: o primeiro é o livro O verão de 80. Não posso falar nada sobre o dito cujo. Não conhecia esse título da autora e uma rápida busca na internet não me ajudou muita coisa. Então porque raios considerei uma oportunidade? Pelo simples fato de que o exemplar estava por R$ 1,80. Como o Kalebe diz, tem livro que vale a pena testar. Com esse preço, se não gostar, qual o perigo?  E o estado do livro até que me surpreendeu… Tudo no lugar. Só aquele amareladinho básico dos livros de mais idade. Um bom negócio, de fato. [Antes de continuar nos outros achados, nessa mesma busca achei VÁRIAS edições de O Amante por R$ 1,80 também, nessa super promoção. Para quem ainda não tem o livro para participar da discussão do fórum, agora ficou mais fácil!]

Mas aí veio a surpresa: Marguerite Duras:uma vida por escrito. Pois é, uma biografia sobre a autora! Era uma coisa que procurei assim que li O Amante (lá em 2010) e não achei na livraria. E depois,quando participei de um Clube do livro sobre ele. Por motivos óbvios, vejo agora, porque não conhecia a tal biografia: o livro foi publicado em 1994, por uma editora chamada Scritta, que não conheço e nem sei se existe ainda. Mas lá estava ele, em seu esplendor de 300 páginas envolvidas por capa dura. Está meio machucadinho nas quinas, é verdade, além das páginas amareladas, mas não me importei muito com o fato. Foram R$ 12,00 gastos e a certeza que quero saber e ler mais dessa autora que já tinha me conquistado.

Sobre A Caixa Preta? Claro que peguei a edição que tinha reservado. Mas ela não era a que estava anunciada no site (que é essa aqui), mas a primeira edição do livro, de 1993. Fiquei meio chateada, pois a outra capa é mais bonita, mas aí é muito mimimi prum texto só. A capa, acho que dá pra ver na foto, parece que foi roída (não quero pensar pelo que. Na verdade, vou me iludir que um lindo gatinho resolveu afiar as unhas num exemplar de Amós Oz). Mas peguei assim mesmo. O espaçamento e o tamanho da fonte me agradaram mais que a versão pocket. Não sei se foi o melhor negócio que fiz, mas o Clube de Leituras é uma prioridade.

Ah, a capa pode estar meio mastigadinha, mas me dei ao trabalho de cheirar bem o livro pra ver se achava algum vestígio mais grave. Tudo certinho, nos conformes!

No fim, foram comprinhas muito proveitosas e nem preciso dizer que tô me coçando pra parar tudo e ler a biografia. Mas tudo a seu tempo…

sim, a colcha é do Super Mario 😛

* o livro que estou lendo tem a ver com o Fórum, mas não é O Amante em si. Mas prometo que falo sobre ele na próxima sexta-feira!

Um comentário em “[Achados do sebo] Comprinhas quase virtuais

  1. Que achados!!!

    Ah, e que legal saber que o próximo livro do Mulheres Modernistas será O Amante, comecei a lê-lo mas não terminei, está aí a oportunidade 😉
    Fico olhando, de vez em quando, o site do Messias e já achei umas coisinhas muito boas por preços ótimos, mas não comprei nada – ano passado fiz a festa quando soube que tinha a opção de reservar e buscar na loja porque ficar garimpando por lá não consigo: é ficar 30 minutos no local e sair espirrando :X

    PS: Ju, tô olhando o site e PQP, quantos livros dela por 1,80: acho que vou comprar um e acabar com a minha promessa de não comprar livros, mas está tão baratinho…

    Beijos!

  2. Passear em sebo é uma delícia! Este ano suspendi minhas idas mensais aos sebos porque quero diminuir as compras e entrar nessas lojas é tentação demais… Vou aproveitar para ler “O Amante” também 😉
    bjo

  3. Lua!
    Brigada!
    fazia um tempo que não ia também. A poeira começou a me incomodar de uns tempos pra cá. Mas gostava quando tinha uma prateleira de 50 centavos no Messias. Voltava pra casa imunda, mas feliz 😛

    bjsss

  4. Olá!
    Pois é! Uma pena que eles não façam mais a “versão normal” d'A Caixa Preta.
    Até gosto da coleção de bolso… Mas acho que meu óculos precisa ser “revisado” e aquelas letrinhas pequenas são um problema 😕
    Bjsss

  5. Invejei a compra do Amos Oz e pedi essa edição na estante virtual.

    Não gosto de edições de bolso.

    Juliana, vc deveria tentar ler Marguerite em francês. Estou lendo O Amante e tive problemas só no começo. Não estou achando dificil!

    bjos

  6. Juliana, aproveitando o tema “clube do livro”, gostaria de fazer uma sugestão. Estava pensando na possibilidade de vocês incluírem uma ferramenta no blog que permitisse aos leitores de outros estados se organizarem para, simultaneamente aos seus encontros de SP, também se reunirem em suas respectivas cidades para discutir o livro escolhido. Espécies de “filiais” ou “franquias” do clube de vc's, entende? O intermédio do blog facilitaria promover o encontro de pessoas que compartilham gostos literários similares e que desejam participar de clubes de leitura não virtuais.

    Abraço!

  7. Ei Leninha!
    Sobre a Duras, sabe que tenho cogitado isso?
    Meu francês tá master enferrujado, mas é sempre uma desculpa boa para poder treinar, né?
    Você recomenda algum para começar?

    Bjsss

  8. Olá!
    Puxa! adorei a sua ideia!
    Vc não é de SP?
    Ficaremos muito felizes em ajudar no que for possível. E divulgar, é claro, o encontro.
    Nos mande um e-mail para conversarmos sobre o assunto!
    bjsss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *