[Amigo secreto] The Gashlycrumb Tinies

(No começo do mês fizemos um amigo secreto. Os livros que trocamos, vão virar resenha no blog!)

Como uma assídua leitora de romances românticos e livros científicos, eu não tinha ouvido falar de Edward Gorey, até esse ano quando a Cosac Naify publicou o encantador e esquisitíssimo Bicicleta Epiplética. Foi aí que eu descobri que Gorey era a fonte, a inspiração de gente como Tim Burton, que descaradamente “homenageia” seu ídolo com animações que são mais cópias dos desenhos de Gorey, que propriamente inspiradas neles. Apesar disso, tenho a impressão que Gorey ficaria mais envaidecido com a “homenagem” que bravo com o plágio…

Os livros de Gorey são infantis. São desenhos sempre em preto e branco, com linhas finas, que me dão a impressão de terem sido feitos com caneta nanquim. As histórias curtas e de um fino humor negro.  Em The Gashlycrumb Tinies isso fica bem explícito: o livro é uma espécie de alfabeto de crianças mortas. Cada letra inicia o nome de uma criança e a descrição de como ela morreu . E, aí temos mais de vinte formas de morrer, que vão de se afogar, passando por beber gin demais, até sofrer um acidente com um machado. 

O fato de as ilustrações serem em preto e branco tira um pouco do “choque” do assunto e algumas vezes chegam a ser bem poéticas… Acredito que muitos pais preocupados achariam que esse não é um livro para suas crianças, já que é tão violento e lúgribe. Eu não tenho crianças, e nunca as terei, mas acho esse tipo de argumento de uma ingenuidade incrível. Os desenhos clássicos de Tom e Jerry a Pica-Pau nos fizeram rir justamente quando esfaqueavam, atropelavam, esfolavam e explodiam amigos e inimigos em cada um dos seus episódios.  Eu nunca fiquei chocada com esses desenhos e nenhuma criança que hoje assiste algum episódio  ficará chocada.

A razão disso é simples: elas sabem que aquilo é um desenho e, por ser um desenho, permite que elas vivenciem algo que a principio parece aterrorizador, mas de uma forma segura. Para mim a mesma coisa acontece com The Gashlycrumb Tinies. Em algum momento, durante nossa infância, nos damos conta de que vamos morrer. Ainda que seja daqui a “milhões de anos”, quando tivermos a idade o Mestre Yoda. Isso dá um medo (eu fiquei bem apavorada quando me dei conta disso)! E a forma mais confortável de lidar com isso é  fazendo piadinhas e lendo Gorey, que recorrentemente fala sobre a morte em seus “livrinhos”.  Pouco a pouco,  livro a livro, vamos percebendo que a vida é dura lá fora e que coisas bem ruins podem acontecer, mas que mesmo as coisas ruins rendem um boa piada então, nem tudo está perdido… É isso que eu mais gostei  nesse livro:  a possibilidade de rir mesmo no fim da vida.

A obra de Gorey é para crianças de todas as idades, para adultos que nunca se esqueceram que foram crianças e, mesmo  para aqueles que se esqueceram. Para todos eles, livros como The Gashlycrumb Tinies, com seu humor negro, leva encantamento e luz, mesmo nas horas mais tristes.

The  Gashlycrumb Tinies

Texto e ilustração: Edward Gorey
Bloomsbury,1991

2 comentários em “[Amigo secreto] The Gashlycrumb Tinies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *