Água sim

Poesia para pequenos.

Embora aparentemente utilizando o tema da moda (a pobre palavra “sustentabilidade” ou a nova “ecofriendly” nunca soaram tão repetitivas e vazias), este livro de Eucanaã, mesmo se utilizando do tema água, não parte deste principio (ufa!). Aqui a relação é outra, de proximidade, familiaridade, e até mesmo um vínculo de amizade com a água, depois de observá-la de tantas formas.

A poesia é simples, o que de forma alguma descaracteriza sua qualidade. O entendimento é direto. Sempre em poucas palavras, as transições de verso em verso se fazem suaves, em pequenas mudanças, com jogo de palavras ou acréscimos mínimos. Os elementos vão se agregando e passando por você ao longo do livro em um suave ritmo de riacho tranquilo. Leitura suave, transparente e limpa, feito água.

Interessante também que alguns ganchos podem ser utilizados para mostrar a versatilidade da água, a sua mutabilidade e adaptação. Seus todos estados físicos passeiam entre as páginas. Mas a água, embora protagonista, deixa caminho para a pedra, a folha, a menina e o menino, criando pequenos espaços poéticos delicados e bonitos de ver e imaginar.

A ilustração acompanha a simplicidade do texto. As ilustrações de Sandoval utilizam uma técnica conhecida como monotipia. Não poderia ser algo mais simples ou direto, de perfeito encaixe com o texto e a proposta do mesmo. Para os desavisados, monotipia é a mais simples forma de impressão. Certamente todo mundo já vivenciou esta experiência na infância com seus desenhos feitos em um papel melecado de tinta e passados para outro papel. Simples assim. A monotipia nada mais é que essa prova única possivel de se retirar de uma matriz. E aqui as formas criadas por Sandoval transparecem essa simplicidade muito bem disposta, às vezes até mesmo de forma poética.

Aqui cabem duas observações: para um livro de tão fácil acesso, seria interessante uma letra bastão, para que os iniciantes na alfabetização também pudessem ler com facilidade e autonomia. Segundo ponto é que poderiam colocar no final um breve convite/explicação da técnica utilizada para as ilustrações do livro. Seria um belo convite para as crianças mostrar a elas que técnicas assim tão simples estão ao fácil alcance delas, bem como participa de seu cotidiano escolar ou doméstico mesmo. Certamente sairiam belos desenhos inspirados no livro. Um ponto bacana não explorado.

Mesmo assim o livro é bom e merece total atenção ao trabalhar de forma tão tranquila e leve com a água, sem parecer chato e incisivo, mas mostrando sua versatilidade e permitindo esses ganchos para abrir em discussão. Forma muito mais inteligente de discutir temas como preservação.

Interessante, não é? Saiba mais clicando aqui. Ou você pode conhecer mais um pouquinho do livro no trailer que a editora disponibilizou:

Um comentário em “Água sim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *