ESPECIAL: Semana do Livro Digital

O post dessa semana é especial.

Não apenas comentarei um livro infantil, como seu tema abrirá espaço para discutir um muito atual: a questão do livro digital. Hoje iniciaremos mais uma semana temática, discutindo o panorama nacional e internacional, assim como os pros e os contras. Achamos pertinente essa discussão, afinal, somos todos apaixonados por livros! 
O livro de hoje é muito expressivo nesse aspecto, apresenta a problemática do universo infantil e o acesso a tecnologia. E devo dizer que, com a mesma velocidade do mundo digital, a Cia das Letrinhas tratou de trazer esta obra ainda tão fresquinha no mercado gringo. 
Não é levantada nenhuma bandeira de paixão ou ódio ao mundo high tech. Simplesmente mostra o que é um livro. Não retwitta, não se conecta nem interage, mas é capaz de prender a sua atenção e te levar para muitos outros mundos além dos 7 mares. É sobre a relação de carinho que se estabelece com os livros. Eles têm história e percurso próprios, cheiro, textura, tamanho e formato. Livro é livro. Lane é um dos amantes das folhas amareladas e do saudosismo que as remete. Ao ler um artigo dele a respeito desta obra, devo dizer que me vi, em partes, em suas palavras, “Not to say that I’m not excited by the new technologies and reading devices introduces (it seems) nearly every month, I am. But I’m sure on some level I’ll always be a tradicional book guy. Then again I’m the kind of guy who still watches silent movies and listens to vinyl.” 
Curiosa a brincadeira da escolha dos 3 personagens. Inicialemnte, Lane pretendia utilizar uma criança como protagonista que dialoga com o narrador.

Mas, diante de possíveis associações pejorativas que poderiam surgir, preferiu brincar com alegorias. Uma piadinha a parte o burrinho ser o high tech, com o desfecho divertido que tem a história. Acredito que isso seja já um discreto posicionamento em relação ao tema que se pretende discutir. Mas é algo sutil. Os desenhos são graciosos e muito simples. Tem um ar levemente retrô no traço, misturado a um visual mais limpo e contemporâneo. Parece até mesmo com o diálogo que ele se propõem na narrativa. É mais um daqueles bons livros infantis que faz um adulto parar e refletir.
A editora gringa criou auma animação do livro para divulgação. Divirtam-se.


Não é uma graça?
Até quinta-feira que vem com o fechamento da semana do Livro digital! 
Falarei sobre o mercado e as possibilidades nos ebooks infantis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *