O Desfile de Páscoa ou a Honestidade Trágica


A editora Alfaguara  tem feito alguns trabalhos absurdamente interessantes com alguns livros de literatura estrangeira, nos apresentando alguns autores que, infelizmente, não são tão famosos aqui no Brasil.

Esse elogio pode parecer óbvio e até meio bobo, afinal esse é o mínimo que se espera de uma editora (melhor ainda quando ela tem qualidade) . Mas alguns autores como Mario Benedetti (maravilhoso !! ainda vou escrever um texto sobre ele), Paul Bowles (que a própria editora lançou um novo titulo:  Que venha a tempestade) e o motivo dessa coluna, Richards Yates (que eu descobri recentemente e que infelizmente só tem 9 romances, uma pena).

Antes de falar sobre o livro da semana, vou falar sobre o 1 livro publicado pela mesma editora. Foi apenas um sonho (que infelizmente teve esse titulo em português por conta do filme, protagonizado por Leonardo Dicaprio e Kate Winslet, e não o belo titulo original, Revolutionary Road). Eu consegui ler o livro sem ter visto nada sobre o filme ou qualquer coisas que pudesse de alguma forma atrapalhar a história original. E confesso que não estava preparado para o que li. Não sei dizer se foi o momento que eu li o livro ou alguma outra coisa, mas me incomodou muito.

A história é simples , casal jovem e com um “futuro brilhante”, acaba indo morar no subúrbio de Nova York, onde vão se relacionar com pessoas medíocres e, mesmo morando lá, eles se consideram muito acima de tudo isso. Só que o tempo vai passando e nada disso parece mudar …

Fiquei a semana tentando encontrar a palavra pra descrever a forma como ele descreve as histórias, o mais próximo que eu encontrei é uma honestidade trágica. Como se o otimismo ou a esperança não tivesse espaço ou lugar.

No livro da semana, O desfile de páscoa, ele narra a história de 2 irmãs: Sarah, a mais velha e a pequena Emily, ainda na década de 30, logo após a separação dos pais (fato que marca as 2 profundamente). Elas vão morar com a mãe, que infelizmente não consegue um emprego decente e elas se mudam de ano em ano. As meninas vão crescendo à sombra dessa mulher, que a todo custo quer uma vida “chic”, elegante, muito diferente da realidade. O tempo vai passando, as meninas vão crescendo e Sarah fica linda e logo encontra um bom partido. Enquanto Emily se dedica aos estudos e a vida acadêmica, infelizmente não tendo tanta sorte na vida pessoal. E ambas, cada uma a seu modo, vai buscar a felicidade.

Todas as fases do livro (desde a infância até a fase adulta final das meninas) são tratados de uma forma honesta,clara, sem nenhum tipo de glamurização para todas aquelas coisas normais da vida. A parte da tragédia que eu mencionei antes está mais no fato do autor não tratar nenhum feitos dos protagonistas como algo admirável, ou mesmo bacana e quase como uma sucessão de fatos que vão se somando a outros e transforma nossa vida no que ela é.Quantas vezes ficamos com a sensação de que as coisas foram daquela forma sem nenhum motivo, como se realmente não tivéssemos tanto controle assim?

Acho que dessa vez eu estava preparado para o livro, mas mesmo assim a experiencia foi intensa.

2 comentários em “O Desfile de Páscoa ou a Honestidade Trágica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *