Retratos Imorais – Ronaldo Correia de Brito


“O mundo cheira a talco ordinário, a bosta e mijo secando debaixo do sol quente de fevereiro, nos becos estreitos da cidade enlouquecida. Ecos desse carnaval às emergências dos hospitais com os sobreviventes bêbados e feridos (…) Nenhum aroma de jasmim atravessa as portas envidraçada. Entre as macas, enfileiradas como nas praças de guerra, os anjos de roupa branca suja caem pelas tabelas.”
Trecho extraído do conto Catana.

Devo confessar que nunca fui grande fã de contos, portanto a tarefa de iniciar minhas postagens neste coletivo com um livro de contos me pareceu uma ironia do destino, dessas que geralmente acontece em nossas vidas. Entretanto venho humildemente dizer que esse é um dos melhores livros de de contos que li na minha vida, é impossível se manter indiferente com algumas das histórias no presente volume. Como o trecho acima demonstra Ronaldo cria um fascínio em suas descrições que pega o leitor seja em uma produção de fôlego como no recente Galiléia, ou até na história de duas páginas de “Homem de unhas pintadas com base de esmalte”. Sua linguagem é concisa e precisa, ao mesmo tempo que traz inovações e citações diversas, desde a Bíblia até filmes contemporâneos.

Um comentário em “Retratos Imorais – Ronaldo Correia de Brito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *